Arquivos
Viva seu Município

 Mirante/BA

População: 10.270 hab. (2013)
Servidores: 400 servidores (2013)

 Restos a pagar

Quanto o Governo Federal deve para seu Município:

R$ 2.245.128,01

 Obras e aquisições

realizadas e não pagas

Pago:
R$ 570.929,20

Restos a pagar inscritos:
R$ 2.765.067,17

Restos a pagar não processados:
R$ 1.532.521,56

Segunda, 23 de fevereiro de 2015.

Ag. BrasilNa Semana do Municipalismo, de 23 a 27 de fevereiro, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) divulga levantamento atualizado sobre os Restos a Pagar (RAP). Atualmente, o governo federal deve R$ 35 bilhões aos governos municipais. Em meio à falta de recursos até mesmo para manter serviços essenciais, este dinheiro faz falta nos cofres de quase a totalidade das prefeituras brasileiras. Os RAPs nascem da dificuldade que a União tem de executar o orçamento. A cada ano a CNM faz um balanço deste débito e identificou que esta situação só piora. O montante de débitos só aumenta e os entes municipais estão entre os mais impactados, pois boa parte dessa dívida é referente à obras nos Municípios. Um vídeo da CNM lançado em 2009 mostra a “Peregrinação dos prefeitos a Brasília” em busca de emendas parlamentares na tentativa de investimentos em diversas áreas. Alguns conseguem emendas parlamentares para custeio de obras, mas quando o Orçamento Geral da União (OGU) sofre cortes, essas emendas são contigenciadas e prejudicam lá na ponta os Municípios. Assim, ou a obra fica inacabada ou o prefeito paga com recursos próprios aquilo que deveria ter sido pago com a emenda.

Processados e não processados
De acordo com a CNM, a União tem, ao todo, R$ 198,9 bilhões em Restos a Pagar.  A maior parte é de não processados – um total de R$ 165,7 bilhões – quando a despesa não foi realizada ou ainda não foi aferida/atestada e por isso não foi paga. Os processados somam R$ 33,1 bilhões e são aquelas despesas que foram executadas, e aferidas/atestadas e só faltam ser pagas. No caso dos RAPs devidos aos Municípios, 31,5 bilhões (90%) são de não processados. O restante do recurso, os R$ 3,4 bilhões, são de processados. O RAP processado apresentava queda nos ultimos anos e em 2014 passou a crescer. Por outro lado, o RAP não processado tinha um crescimento considerável e a partir de 2012, depois de uma estagnação, o crescimento está em média de 10% ao ano. Existem milhares de obras paradas e isso é preocupante, pois a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) proíbe que no último ano de mandato, no caso em 2016, haja Restos a Pagar. É preciso ter cuidado, recomenda a CNM. Passar dívidas para a gestão seguinte é improbidade.

Prejuízos aos Municípios
Este levantamento serve de alerta aos gestores municipais. Na avaliação da CNM, há um efeito negativo duplo nesta situação. A falsa expectativa de recebimento de recursos e o atraso nos projetos sob responsabilidade das prefeituras. Muitos dos Restos a Pagar existem há mais de um ano. Do total que deve ser pago aos Municípios há concentração em três pastas: Ministério das Cidades, Ministério da Educação e Ministérios da Saúde. Juntos, eles correspondem a quase 70% do total de RAPs devidos aos governos municipais. No caso do MCidades, quase a totalidade está classificada como não processados. No MEC e MS são 74% e 58%, respectivamente.

Acesse levantamento completo com tabelas

Dados por Município aqui

Segunda, 19 de janeiro de 2015.

SXC.huA Confederação Nacional de Municípios (CNM) salienta que, desde a criação da lei, não é contra o Piso Nacional de Valorização do Magistério Público. Mas, com base em cálculos recentes, a entidade faz uma alerta: nos próximos anos, a receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) não será mais suficiente para pagar a remuneração desses profissionais. Em 2009, quando a Lei 11.738/2008 entrou em vigor, o piso era de R$ 950 para a jornada de 40 horas semanais. Este ano, com a soma de todos os reajustes feitos a cada janeiro, o valor chegou a R$ 1.917,78 – aumento de 13,01% em comparação a 2014. Portanto, o piso dos professores cresceu 101,9% – total acima da inflação. Enquanto isso, as receitas do Fundeb cresceram apenas 85%. O alerta da CNM é justamente para este ponto. O valor pago aos professores é reajustado, a cada ano, acima do crescimento da fonte de financiamento, que é o Fundeb. Assim, ele logo ficará insuficiente. O pagamento se tornarará inviabilizado. De acordo com a Confederação, esta situação mostra o porquê de os prefeitos e governadores estarem com tantas dificuldades em pagar o Piso Nacional do Magistério.

Gastos elevados
Estes reajustes fora da normalidade acarretam em outro problema. Dados do Sistema de Informações Orçamentárias da Educação (Siope) mostram que os Municípios gastam, em média, 77% da receita do Fundeb com pagamento dos professores. Contudo, a própria legislação fixa o mínimo de 60%. A lei diz que o ideal seria isso, mas com este salário, o porcentual só tende a subir. Ao apresentar estas informações, a CNM defende: não se trata de falta de vontade politica por parte dos gestores. As dificuldades no pagamento são consequência da falta de fonte de financiamento que sustente o atual critério de reajuste. O presidente da CNM ressalta que os professores devem ser melhor remunerados e valorizados, mas se a lei não sofrer alterações, o Fundeb não será mais suficiente. “Dessa forma todos perdem. Os gestores por não conseguir cumprir o que determina a lei e os profissionais que não terão os vencimentos pagos”. A CNM entende que o governo federal deve entrar nessa discussão e adicionar recursos ao Fundeb.

Agência CNMCritério de reajuste
A remuneração dos professores cresce tanto porque o indicador que serve de referência para o reajuste é o chamado “valor mínimo nacional por aluno”. Ele corresponde ao valor estimado da receita do Fundeb dividido pelo número de alunos de uma determinada etapa do ensino básico. O detalhe é que, das 15 etapas da educação básica, que vai desde a creche ao ensino médio, o legislador escolheu a etapa das séries iniciais do ensino fundamental da área urbana como parâmetro para calcular essa média. Ocorre que o número de matrículas dessa etapa está estagnado ou em queda. Ela estava universalizada desde os tempos do antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). Com isso, temos menos crianças na escola, mas o valor por aluno cresce mais do que a própria receita. Além disso, o governo tem superestimado as receitas do Fundeb, que são utilizadas no cálculo do valor por aluno. Para solucionar o problema, o Congresso Nacional busca um novo critério de reajuste. Acordos entre gestores municipais e estaduais com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) estão em andamento.

O estopim
De 2009 a 2014, os gastos com a folha do magistério expandiram R$ 28 bilhões. Com o reajuste deste ano, será somado mais R$ 6,8 bilhões a este total. Os Municípios possuem 1.138.890 funções docentes, e este número vai aumentar, pois a lei determina a reserva de um terço da carga horária para atividades fora da sala de aula. Por causa da quantidade de docentes nas folhas municipais, as prefeituras têm gastado em média 24% do orçamento somente com os professores. O magistério tem um impacto muito forte nas folha de todos os Municípios. Qualquer avanço nessas despesas influenciam o gasto com pessoal e os limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal – 54% da Receita Corrente Líquida.

Fonte: http://www.cnm.org.br/areastecnicas/noticias/educacao/fundeb-cresce-menos-do-que-o-reajuste-do-piso-dos-professores-alerta-a-cnm

Neste dia (11) A cidade de Mirante Tremeu com o ronco dos poderosos motores do  Motocross. Para os amantes do esporte foi um grande presente que emocionou muita gente. Com Organização dos (Cãozinhos do Rosa) apelidados carinhosamente  pelo locutor do evento, Parabenizamos ao Sérgio, Itamar, Cesar e o Dono de uma casa de Peças aqui da cidade e principalmente ao Rosa que doou parte de sua Fazendo (Lagoa dos Marinhos) para a construção da pista feita com a colaboração da Prefeitura. Houve muitos agradecimentos, ao Prefeito Hélio Ramos e a toda a Administração. Muita gente presente, ovacionaram as lindas apresentações feitas pelos Pilotos em Especial à coragem de nossos representantes mirantenses os Pilotos: Aelso e Diogenes. O Alex Braminha como sempre roubou a sena com seus saltos incríveis, literalmente voava seguido do Campeão baiano de Motocros amador com apenas 13 anos o Gilberto Bala. Ficou a promessa e o compromisso dos colaboradores para o evento se repetir com mais força ainda em 2016. O mais importante é que não aconteceu nenhum acidade grave, Graças a ao Nosso Bom Deus.

20150111_120828

20150111_120923

20150111_120941

20150111_120948

20150111_120951

20150111_121810

20150111_121819

20150111_121826

20150111_121835

20150111_121849

22008-Natal7

cachoeira de oleo

Josette Goulart

Abalada pelas investigações de corrupção e, mais recentemente, pela queda da cotação do petróleo, a Petrobras não para de sofrer os efeitos no preço de suas ações. Sua cotação afundou tanto que na sexta-feira passou a valer na Bolsa de Valores o mesmo que no primeiro ano do governo Lula, como se estivesse paralisada há 11 anos.

A estatal brasileira vale hoje menos do que antes do anúncio das descobertas do pré-sal. Para os investidores do mercado financeiro, é como se as reservas gigantes de petróleo, anunciadas em novembro de 2007, tivessem perdido todo o valor.

 No auge da cotação da empresa, em 21 de maio de 2008, seu valor a preços de hoje, já considerando a inflação, era de R$ 737 bilhões. De lá para cá, queimou-se no mercado R$ 610 bilhões. Para se ter uma ideia da dinheirama, é como se a companhia tivesse perdido toda a produção anual de Portugal. Ou quatro vezes o Produto Interno Bruto (PIB) do Uruguai.

 Toda essa perda não se deve apenas ao inferno astral do momento. As perdas começaram logo em 2008, por causa da crise financeira global. No ano passado, a Petrobras teve outra grande perda porque não pôde reajustar os preços da gasolina para não pressionar a inflação. Em 2014, a cotação estava começando a se recuperar, quando as notícias de corrupção atingiram a empresa. Foi assim que na sexta-feira a estatal passou a valer R$ 127 bilhões.

 Os números já ajustados pela inflação foram compilados pela consultoria Economática, a pedido do Estado. Aplicar a inflação é importante porque traz o passado para os preços de hoje, como diz o gerente da consultoria, Einar Rivero. Dá o real poder de compra do dinheiro. “O dólar hoje está caro ou está barato? Eu digo que está barato porque vale R$ 2,60. Olhando o dólar de 2002 e aplicando a inflação do período eu teria de ter R$ 8,25 de hoje para comprar dólares. Está barato.”

 No caso das ações da Petrobras, não há quem arrisque dizer se o papel está caro ou barato. São muitas as incertezas em relação à empresa, que ainda podem jogar os preços mais para baixo. Não se sabe, por exemplo, o impacto no balanço da companhia quando reconhecer – se reconhecer – as propinas pagas e denunciadas por ex-diretores. Nem sequer o balanço auditado do terceiro trimestre foi publicado e, se isso não for feito até 31 de janeiro, alguns bilhões em dívidas terão de ser pagos antecipadamente.

A empresa ainda enfrenta uma ação movida por acionistas minoritários que pedem indenizações milionárias na Justiça americana. Para complicar, os preços do petróleo estão em níveis que, no curto prazo, ajudam o caixa da companhia, mas se permanecerem por muito tempo na faixa dos US$ 60 podem inviabilizar investimentos – até mesmo no pré-sal. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

  • Reprodução | TV GloboA ex-gerente-executiva Venina Velosa da Fonseca afirmou que irá até o fim nas denúncias

A ex-gerente-executiva da Diretoria de Abastecimento da Petrobras Venina Velosa da Fonseca afirmou na noite deste domingo, 21,  que informou sobre irregularidades verificadas por ela “a todas as pessoas que podiam fazer algo” e que, além de ter registrado suspeitas por e-mail, chegou a discutir o assunto pessoalmente com a atual presidente da estatal, Graça Foster, quando a executiva máxima da companhia era diretora de Gás e Energia.

“Naquele momento, discutimos o assunto. Foi passada uma documentação para ela, sobre as denúncias na área de comunicação (da Diretoria de Abastecimento, em 2008). Depois disso, ela teve acesso a essas irregularidades nas reuniões da Diretoria Executiva”, disse Venina.

Em entrevista exclusiva ao programa “Fantástico”, da TV Globo, Venina afirmou que irá até o fim nas denúncias e conclamou outros funcionários da Petrobras a fazerem o mesmo. A ex-funcionária da estatal, afastada, mês passado, de seu cargo de diretora-geral da operação da Petrobras em Cingapura, também confirmou as denúncias veiculadas em reportagem do jornal “Valor Econômico”.

O jornal revelou os alertas feitos por Venina, citando “centenas de documentos” internos da Petrobras. Segundo o “Valor Econômico”, as denúncias de Venina às instâncias superiores da estatal envolviam irregularidades nos gastos de comunicação na Diretoria de Abastecimento; nas obras da Refinaria de Abreu e Lima (Rnest), em construção em Pernambuco e cujo orçamento explodiu de US$ 2 bilhões para US$ 18,8 bilhões, após inúmeros atrasos; e nas negociações de óleo combustível na Ásia.

Entre as pessoas informadas das irregularidades citadas por Venina na entrevista ao “Fantástico”, além de Graça Foster, estão o ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, que assinou termo de delação premiada no âmbito da operação Lava-a-Jato; o atual diretor de Abastecimento, José Carlos Cosenza; o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli e gerentes-executivos que trabalhavam com ela à época.

Venina rebateu a alegação de Graça de que fora vaga nos alertas feitos antes deste ano. “Se falar em irregularidades na área de comunicação e problemas nas licitações não está suficientemente claro, eu, como gestora, buscaria uma explicação. Principalmente com uma pessoa com a qual eu tinha muito acesso, porque nós sempre tivemos acesso. Conheci a Graça numa época em que ela era gerente de Tecnologia na área de Gás (e Energia)”, afirmou.

A funcionária afastada também negou que tenha sido cúmplice de qualquer irregularidade. “Eu trabalhei com o Paulo Roberto, isso não posso negar”, disse Venina, referindo-se ao ex-diretor e hoje delator. “Se eu tivesse participado de algum esquema, não estaria aqui hoje, não teria feito a denúncia que fiz, não teria ido ao Ministério Público entregar o meu computador com todos os documentos que eu tenho, desde 2002″, completou a executiva.

No fim da entrevista, em tom emocionado em falar sobre a família e a mudança para Cingapura, Venina afirmou que irá até o fim nas denúncias e conclamou outros funcionários da Petrobras a também denunciarem.

“Espero que os empregados da Petrobras, porque tenho certeza que não fui só eu que presenciei, criem coragem e comecem a reagir. Temos que fazer isso para poder realmente fazer a nossa empresa ser o que era. A gente tem que sentir orgulho, os brasileiro têm que sentir orgulho dessa empresa. Eu vou até o fim e estou convidando vocês para virem também”, afirmou.

Em nota lida no “Fantástico”, a Petrobras voltou a negar que Graça e Cosenza tivessem sido alertados de irregularidades antes de novembro passado, reafirmou que as denúncias feitas por Venina foram apuradas por comissões internas e alegou que “possivelmente, a funcionária trouxe a público as denúncias porque foi responsabilizada por uma comissão interna”.

 

As vagas são para o cargo de escriturário e o salário oferecido é de R$ 2.227,26

Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)
22/12/2014 09:38:00Atualizado em 22/12/2014 09:40:29

A Bahia não está na lista dos estados com vagas abertas, mas para quem busca oportunidades fora do estado o Banco do Brasil abre inscrições para seleção externa nesta segunda-feira (22).

Banco do Brasil abre inscrições para concurso nesta segunda (22) (Foto: Reprodução)

 

As vagas são para formação de cadastro de reserva para agências e unidades nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas (exceto em São Gabriel da Cachoeira, Caruari, Coari, Tefé, Eirunepé, Tabatinga, Humaitá, Lábrea, Manicoré, Boca do Acre), Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina (exceto Chapecó, Joinville, Palhoça, São Carlos e Videira) e Sergipe.

As vagas são para o cargo de escriturário e o salário oferecido é de R$ 2.227,26 em jornada de trabalho de 30 horas semanais. Os interessados poderão se inscrever 22 de dezembro a 19 de janeiro de 2015 pelo site da Cesgranrio (www.cesgranrio.org.br) com taxa de R$ 40.

O cargo exige responsabilidades como atendimento ao público, atuação no caixa (quando necessário), contatos com clientes, prestação de informações aos clientes e usuários, redação de correspondências em geral, conferência de relatórios e documentos, controles estatísticos, atualização/manutenção de dados em sistemas operacionais informatizados, entre outras.

A seleção terá composta por 3 etapas, prova objetiva, prova de redação e perícias médicas e procedimentos operacionais. O concurso terá validade de 1 ano e poderá ser prorrogada, uma vez, por igual período.

A taxa média de juros cobrada do consumidor chegou a 44,2% ao ano em novembro, informou nesta segunda-feira (22) o Banco Central. Trata-se do maior patamar da série histórica do BC, de março de 2011. A taxa refere-se ao segmento de crédito com recursos livres, nas quais os bancos são livres para escolher as taxas oferecidas aos consumidores. Em outubro, os juros estavam em 44,0% ao ano. Apesar da alta, a inadimplência manteve-se estável em 6,5%, próximo ao menor patamar da série histórica, de 6,4% em abril de 2011. Para as empresas, o custo do crédito com recursos livres aumentou em 0,1 ponto percentual para 23,5% ao ano. Com isso, a taxa média total com recursos livres chegou a 33%. No caso dos recursos direcionados, segmento que inclui as linhas do BNDES, do crédito habitacional e rural, o juro total ficou estável em 7,9% ao ano e a inadimplência seguiu em 1% ao ano, como no mês anterior.

ESTOQUE

O estoque total de empréstimos chegou a R$ 2,96 trilhões em novembro, aumento de 1,3% frente a outubro. Já as concessões totais recuaram 7% no mês. O saldo do crédito direcionado avançou mais. Enquanto o estoque neste segmento cresceu 1,7% no mês, o saldo de recursos livres aumentou 0,9%. Em doze meses, o estoque do crédito direcionado acumula alta de 25%. Já o saldo do crédito livre, de 4,7%.

O crédito disponível no país chegou a 58% do PIB (Produto Interno Bruto). No mês anterior, a proporção era 57,6% e, em novembro do ano passado, de 55,1%.

SPREAD

O spread total – diferença entre o custo de captação e o valor cobrado do tomador de empréstimo e que constitui a maior parte do lucro bancário – caiu 0,2 ponto percentual para 12,6 pontos percentuais.

O spread dos empréstimos com crédito livre chegou a 21,2 pontos percentuais. Já nas linhas com crédito direcionado seguiu em 2,8 pontos percentuais.

economiaAs perspectivas dos economistas do mercado financeiro tiveram nova piora. As estimativas de crescimento para a economia ficaram menores para este ano e para 2015, e a previsão para a inflação do próximo ano chegou ao limite da meta do governo. Os dados são do boletim Focus, divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira (8). O relatório é fruto de pesquisa com mais de 100 instituições financeiras. Para este ano, a expectativa dos economistas para a inflação recuou de 6,43% para 6,38%. Para 2015, no entanto, a estimativa subiu de 6,49% para 6,5%. A meta de inflação é de 4,5%, com tolerância de dois pontos para mais ou para menos. Dessa forma, o teto é de 6,5%. Em doze meses até novembro, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na semana passada, o IPCA, considerada a inflação oficial do país,ficou em 6,56% – valor que ainda está acima do teto de 6,5%. A meta, porém, vale somente para anos fechados.

OPI-002.epsProduto Interno Bruto
Para o Produto Interno Bruto (PIB), os economistas baixaram a estimativa de uma alta deste ano de 0,19% para 0,18%. Foi a terceira queda seguida do indicador. Se confirmada, será a menor expansão desde 2009, quando o PIB teve retração de 0,33%. Para 2015, a estimativa de expansão da economia recuou de 0,77% para 0,73%, na segunda redução consecutiva

O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos em território brasileiro, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o crescimento da economia. No fim de outubro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a economia brasileira saiu por pouco da recessão técnica no terceiro trimestre de 2014 – quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,1% na comparação com o trimestre anterior. De janeiro a setembro, a economia teve expansão de 0,2% frente ao mesmo período do ano passado. Já no acumulado em quatro trimestres até setembro, a alta foi de 0,7%.

juros-420x275Taxa de juros
Para a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, que avançou para 11,75% ao ano na semana passada, a expectativa do mercado para o fechamento de 2015, passou de 12% para 12,50% ao ano. Isso quer dizer que os analistas dos bancos esperam uma alta maior dos juros no próximo ano. A taxa básica de juros é o principal instrumento do BC para tentar conter pressões inflacionárias. Pelo sistema de metas de inflação brasileiro, o BC tem de calibrar os juros para atingir objetivos pré-determinados. Em 2014, 2015 e 2016, a meta central é de 4,5% e o teto é de 6,5%.

economia-brasileiraCâmbio, balança comercial e investimentos estrangeiros        

Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2014 permaneceu em R$ 2,55 por dólar. Para o término de 2015, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio avançou de R$ 2,67 para R$ 2,70 por dólar. A projeção para o resultado da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações) em 2014 permaneceu em um saldo zero na semana passada. Para 2015, a previsão de superávit comercial ficou estável em US$ 6,3 bilhões. Para este ano, a projeção de entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil permaneceu em US$ 60 bilhões. Para 2015, a estimativa dos analistas para o aporte ficou estável em US$ 58 bilhões.

Texto-base foi aprovado; falta de quorum fez reunião ser remarcada.
Proposta desobriga governo a cumprir superávit primário de 2014.

Parlamentares dividem pacotes de bolacha durante a sessão (Foto: Fernanda Calgaro / G1)

O Congresso Nacional encerrou na madrugada desta quinta-feira (4), depois de mais de 18 horas de debates, a sessão destinada a votar o projeto enviado pelo governo federal que derruba a meta fiscal prevista para 2014. Os parlamentares aprovaram o texto-base da proposta, mas, por falta de quorum, o último destaque (proposta de alteração ao texto principal) não foi votado e uma nova sessão foi convocada para a próxima terça-feira (9).

A sessão foi marcada por troca de acusações entre os parlamentares, obstrução dos oposicionistas e confusão entre manifestantes que tentaram acompanhar a votação do plenário. Alguns parlamentares chegaram a dormir em suas poltronas e outros dividiram pacotes de bolachas.

O texto-base foi aprovado por volta de 3h45, mas quatro destaques ficaram pendentes. Três deles foram rejeitados em votações simbólicas, sem a contagem de votos. No momento em que o último destaque estava sendo discutido, parlamentares da oposição pediram votação nominal, quando foi detectado que não havia o quorum mínimo de 257 deputados.

No total, apenas 192 deputados marcaram presença na votação do último destaque. O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou, então, que uma nova sessão para discutir o texto deverá ocorrer na próxima terça-feira.

Manifestantes protestam na entrada da Câmara contra o projeto que acaba com a meta fiscal (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Manifestantes protestam na entrada da Congresso contra o projeto que acaba com a meta fiscal (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

eu2Todos os anos comemoramos o Natal e o Ano Novo, com muita alegria, festa, reencontros de amigos e familiares. No Natal se renovam nossas esperanças diante do grande acontecimento de todos os tempos que é a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, que é sem sombra de dúvidas, tempo de renovar a nossa fé e efetivamente renovar as nossas esperanças. Os encontros, os festejos são importantes, porém devemos lembrar que o mais importante mesmo é estar com o espírito voltado mais para Oração, portanto o importante mesmo é que consagremos nesta data tão especial para as Nações de todo o mundo um só sentimento: “Jesus é o nosso Salvador, veio nesta data para nos livrar do Pecado, da Maldade, da Infâmia, da Inveja, do Orgulho, da Ambição e da falta de Amor, viveu aqui na terra como exemplo de tudo o que é bom”. Oremos então para que estes sentimentos de guerra e desavenças em Cristo, sejam lavados do coração daqueles que os praticam.  O Amor a Deus sobre todas as coisas, de Coração, Mente e Alma e o Amos ao próximo como a ti mesmo, são os dois mandamentos que nos levam ao reino de Deus, podem ter certeza disto.

A nossa proposta é de que todos, promovam a paz e pratiquemos o amor de forma incondicional e sem discriminação. Os bens materiais não devem nos levar de forma ambiciosa para longe de Deus. Vamos pelo menos tentar melhorar a partir deste Natal, o nosso comportamento para com Deus e para com nossos Irmãos, para que possamos verdadeiramente ter uma vida digna, regada com a prática do bem, da solidariedade e da dispensa do amor e caridade sem escolher a quem.

Que o onipotente Deus único, interceda para que a proteção daqueles que é Dele, seja realizada conforme as promessas.

A todos Desejamos um feliz Natal e um Ano Novo bem melhor para todos nós!

Raimundo Nonato e Família

O Google revelou alguns detalhes do projeto Loon, que usará balões para levar internet para áreas remotas. Entre os dados, a empresa indica que os balões estão muito mais resistentes, capazes de permanecer 100 dias no ar, 10 vezes mais do que no ano passado.

A empresa também fez grandes progressos nas técnicas para inflar balões, conseguindo preenchê-los com gás em apenas 5 minutos. Desta forma, a empresa é capaz de lançar até 20 balões por dia, muito mais do que era possível antigamente. Outro dado interessante é que os balões que já foram lançados pelo Google, que podem flutuar pela estratosfera e subir e descer para se adequar às correntes de ar, já navegaram por cerca de 3 milhões de quilômetros, o que seria suficiente para quatro viagens de ida e volta até a lua.

(MAIS…)

Preço praticado no Brasil irrita até usuários antigos do smartphone, além de fazer o país ser motivo de piada na comunidade internacional.

Camila Gadelha é publicitária e aproveitou uma viagem aos EUA para comprar o iPhone 6. O aparelho anterior dela, um 4S, durou três anos. Esse foi um dos fatores que fizeram com que ela optasse pela Apple novamente. Ela tem outros aparelhos da marca e a convergência do ecossistema também valeu pontos na hora de escolher o novo celular.

Mas Camila é categórica quando perguntamos se ela compraria o iPhone 6 pelo preço que ele está sendo vendido no Brasil. Não, é claro. Já André Ferraz topou trocar de aparelho porque sua operadora ofereceu a chance de ele receber o telefone sem pagar nada por isso, usando somente seus pontos de cliente. Ele tinha um iPhone 5S – que também veio de uma promoção da operadora – e aceitou a proposta porque não ia gastar nada e também aprecia o ecossistema Apple. Ele conta que quase voltou para o Android no começo do ano (a escolha seria o MotoX), mas acabou mudando de ideia por causa da câmera de vídeo.

(MAIS…)

BRASÍLIA – A Polícia Federal tenta cumprir nesta quinta-feira, 27, mandados de prisão de dois irmãos do ministro da Agricultura, Neri Geller, na Operação Terra Prometida, deflagrada para combater esquema de venda ilegal de lotes distribuídos por meio de reforma agrária no Estado de Mato Grosso. A assessoria de imprensa do Ministério da Agricultura informou que o ministro está em viagem ao exterior representando o vice-presidente da República, Michel Temer, e, por enquanto, não poderá se pronunciar sobre o assunto. A assessoria informou que não tem detalhes da ação da PF contra os irmãos de Geller.

Segundo a PF, com o objetivo de se obter a reconcentração fundiária de terras da União destinadas à reforma agrária, fazendeiros, empresários e grupos do agronegócio faziam uso de sua influência e poder econômico para aliciar, coagir e ameaçar parceleiros para obter, ilegalmente, deles lotes de 100 hectares, cada um avaliado em cerca de R$ 1 milhão. Estima-se que 80 fazendeiros fazem parte do esquema. A fraude pode alcançar o montante de R$ 1 bilhão, em valores atualizados.

“Com ações ardilosas, uso da força física e até de armas, compravam a baixo preço ou invadiam e esbulhavam a posse destas áreas. Em seguida, com o auxílio de servidores corrompidos do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), integrantes de entidades de classe, servidores de Câmaras de Vereadores e de Prefeituras Municipais buscavam regularizar a situação do lote”, diz a PF em nota sobre a operação.

A PF informou que foram emitidos pela Justiça Federal 52 mandados de prisão preventiva, 146 de busca e apreensão e 29 de medidas proibitivas, nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Nova Mutum, Diamantino, Lucas do Rio Verde, Itanhangá, Ipiranga do Norte, Sorriso, Tapurah e Campo Verde, todos em Mato Grosso. Há investigados também nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A operação, que conta com cerca de 350 policiais federais, investiga crimes de invasão de terras da União, contra o meio ambiente, fraudes em documentos, e corrupção ativa e passiva. O inquérito foi instaurado em 2010 e, entre os alvos, estão oito servidores públicos.

Páginas: 1 2 Próximas
Categorias
Sua opinião
Não há nenhuma enquete disponível no momento.
web statistics